DNA da Força

DNA da Força

  • 41 Alunos matriculados
  • 110 Horas de duração
  • 132 Aulas
  • 9 Módulos
  • Certificado de conclusão
ASSINE JÁ

Obtenha acesso a este e outros cursos

Professor e pesquisador na área do Treinamento de Força. Busco aproximar a ciência da prática, facilitando a atuação de Profissionais de Educação Física.
EMERSON LUIZ TEIXEIRA

O DNA da Força é uma formação continuada (atualizada semanalmente) 100% online e tem o intuito de capacitar continuamente o profissional de Educação Física a atuar no mercado de trabalho de forma mais competitiva e eficiente.

O conhecimento adquirido no DNA da Força tem o objetivo de alavancar a carreira do profissional atuante no mercado de academias ou no treinamento personalizado, além de possibilitar que estes profissionais executem as suas atividades da melhor forma possível junto aos seus alunos.

A formação no DNA da Força contempla conteúdos relacionados a avaliação física, hipertrofia e emagrecimento. Esses conteúdos são separados em videoaulas, planilhas de avaliação física e treinamento, bem como artigos científicos atualizados disponíveis em pdf.

A formação é voltada para estudantes e profissionais de Educação Física, bem como outros profissionais da área da saúde.

EMERSON LUIZ TEIXEIRA
"Professor e pesquisador na área do Treinamento de Força. Busco aproximar a ciência da prática, facilitando a atuação de Profissionais de Educação Física."


Mestre pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (EEFEUSP), atuando como pesquisador do Laboratório de Adaptações Neuromusculares ao Treinamento de Força em linha de pesquisa relacionada ao treinamento de força com restrição de fluxo sanguíneo.


Nenhuma descrição cadastrada.

Conteúdo Programático

  • 1. Bem-vindo ao DNA da Força
  • 2. Como funciona a plataforma do DNA da Força?
  • 1. Considerações iniciais sobre avaliação física
  • 2. Anamnese - objetivos e perfil do aluno
  • 3. Anamnese - pra onde não estamos olhando?
  • 4. Anamnese - pra onde deveríamos olhar?
  • 5. Como avaliar os motivos para praticar exercício físico
  • 6. Como utilizar o questionário sobre motivos para a prática de exercícios (parte 1)
  • 7. Como utilizar o questionário sobre motivos para a prática de exercícios (parte 2)
  • 8. Utilização prática do questionário EMI-2
  • 9. Avaliação do perfil comportamental do aluno
  • 10. Como utilizar o questionário de análise comportamental
  • 11. Importância da autoeficácia na análise comportamental
  • 12. Utilização prática do questionário de estágios do comportamento
  • 13. Barreiras e NPBs para a prática de exercícios
  • 14. Utilização prática do questionário BPNS-F
  • 15. Importância da motivação e NPBs no exercício físico
  • 16. Importância do Personal Trainer e NPBs no exercício físico
  • 17. Utilização prática do questionário BPNS-F
  • 18. Teoria da autodeterminação e motivação no exercício (parte 1)
  • 19. Teoria da autodeterminação e motivação no exercício (parte 2)
  • 20. Como aplicar a teoria da autodeterminação no exercício
  • 21. Como utilizar o questionário BREQ-3 (parte 1)
  • 22. Como utilizar o questionário BREQ-3 (parte 2)
  • 23. Utilização prática do questionário BREQ-3
  • 24. Mecanismos relacionados ao prazer e desprazer
  • 25. Avaliação do prazer e desprazer no exercício físico
  • 26. Aplicação do prazer e desprazer no treinamento de força (parte 1)
  • 27. Aplicação do prazer e desprazer no treinamento de força (parte 2)
  • 28. Avaliação do divertimento no exercício físico
  • 29. Mecanismos da preferência e tolerância no exercício físico
  • 30. Avaliação da preferência e tolerância no exercício físico
  • 31. Próximos passos na análise do perfil do aluno
  • 1. Considerações importantes sobre avaliação da composição corporal
  • 2. Por que avaliar a composição corporal?
  • 3. Por que avaliar a gordura corporal?
  • 4. Por que avaliar o músculo esquelético?
  • 5. Por que avaliar a água corporal?
  • 6. Por que avaliar a densidade óssea?
  • 7. Níveis de organização da composição corporal
  • 8. Modelo de análise de compartimentos corporais
  • 9. Entendendo os métodos direito, indiretos e duplamente indiretos
  • 10. Análises bioquímicas da composição corporal
  • 11. Pesagem hidrostática e pletismografia
  • 12. Ressonância magnética nuclear
  • 13. Tomografia computadorizada
  • 14. Ultrassonografia
  • 15. Tipos de ultrassonografia (modos A e B)
  • 16. Estudos de composição corporal por ultrassonografia
  • 17. Absorciometria de raio x de dupla energia (DEXA)
  • 18. Avaliação da densidade óssea pelo DEXA
  • 1. Como definir metas para ganhos de força muscular?
  • 1. Introdução aos tipos de hipertrofia muscular
  • 2. Revisão sobre a macro e microestrutura muscular
  • 3. Hipertrofia miofibrilar
  • 4. Myofibrillar packing - hipertrofia sem aumento da área?
  • 5. Hipertrofia sarcoplasmática - o que é e qual a sua importância?
  • 6. Hipertrofia sarcoplasmática - quais os achados da literatura?
  • 7. Hipertrofia longitudinal
  • 8. Hipertrofia longitudinal - quais os achados da literatura?
  • 1. Considerações sobre o status de treinamento
  • 2. Como definir o nível de treinamento do aluno?
  • 3. Qual a melhor intensidade para força e hipertrofia?
  • 4. Quantas repetições para maximizar a força e hipertrofia?
  • 5. É importante variar as repetições?
  • 6. Como prescrever a intensidade pelo teste de 1RM?
  • 7. Como prescrever a intensidade pelas repetições máximas e submáximas?
  • 8. Quão próximo chegar da falha muscular?
  • 9. Controle da intensidade pela escala RIR
  • 10. Controle da intensidade usando a velocidade
  • 11. Perda de velocidade e ganhos de força e hipertrofia
  • 12. Tecnologia aplicada ao controle da intensidade pela velocidade
  • 13. Controle da velocidade por aplicativos e sensores
  • 14. Aplicação prática do controle da intensidade pela velocidade
  • 15. Papel do Volume Load sobre a força e hipertrofia_parte 1
  • 16. Papel do Volume Load sobre a força e hipertrofia_parte 2
  • 17. Como utilizar na prática o Volume Load
  • 18. Quantas séries para força e hipertrofia - parte 1
  • 19. Quantas séries para força e hipertrofia - parte 2
  • 20. Interdependência entre séries e outras variáveis do TF
  • 21. Individualização e progressão do volume de séries
  • 22. Qual a frequência semanal ideal para força e hipertrofia?
  • 23. O que considerar na recuperação entre as sessões de TF?
  • 24. Intervalo de recuperação entre as sessões para força e hipertrofia
  • 25. Intervalo de recuperação entre as séries para força e hipertrofia (parte 1)
  • 26. Intervalo de recuperação entre as séries para força e hipertrofia (parte 2)
  • 27. Tempo sob tensão para força e hipertrofia
  • 28. Tempo sob tensão: existe um limiar mínimo e máximo?
  • 29. Papel das ações musculares na força e hipertrofia
  • 30. Cadência de movimento por ação muscular
  • 31. Cadência de movimento e hipertrofia regionalizada
  • 32. Tensão constante do músculo resulta em maior hipertrofia?
  • 33. Considerações importantes sobre amplitude de movimento
  • 34. Amplitude de movimento parcial x completa - parte 1
  • 35. Amplitude de movimento parcial x completa - parte 2
  • 1. FULL BODY x SPLIT ROUTINE - qual a melhor estratégia de treino - parte 1
  • 2. FULL BODY x SPLIT ROUTINE - qual a melhor estratégia de treino - parte 2
  • 3. O que considerar na ordem dos exercícios nas diferentes rotinas do TF?
  • 4. Exercícios para membros superiores - MULTI x MONO
  • 5. Exercícios para membros inferiores - MULTI x MONO
  • 6. Exercícios em aparelhos x pesos livres
  • 7. É importante variar os exercícios nas montagens de TF? (parte 1)
  • 8. É importante variar os exercícios nas montagens de TF? (parte 2)
  • 9. Montagens dos programas de TF para hipertrofia (parte 1)
  • 10. Montagens dos programas de TF para hipertrofia (parte 2)
  • 1. Causas e consequências do sobrepeso e obesidade
  • 2. Introdução ao emagrecimento
  • 3. Como armazenamos e gastamos energia?
  • 4. Papel do tecido adiposo marrom no gasto energético
  • 5. Afinal, o que é e como medimos gasto energético?
  • 6. Déficit calórico - por que não é tão simples assim?
  • 7. Papel dos hormônios sobre o gasto energético
  • 8. Adaptação metabólica - alterações hormonais
  • 9. Adaptação metabólica - eficiência mitocondrial
  • 10. Por que alguns emagrecem mais e outros menos?
  • 11. Dieta e exercício - qual o papel de cada um no emagrecimento?
  • 12. Efeito térmico dos alimentos e gasto energético total
  • 13. Taxa metabólica de repouso e gasto energético
  • 14. Gasto energético não relacionado ao exercício (NEAT)
  • 15. Efeito EPOC e gasto energético da musculação
  • 16. Quais mecanismos considerar na prescrição do treinamento para o emagrecimento?
  • 1. Definindo metas de emagrecimento saudável
  • 2. Como simular as mudanças de composição corporal durante o emagrecimento?
  • 3. Como avaliar a TMR durante o emagrecimento?
  • 4. Avaliação prática da TMR pelo DEXA
  • 5. Criando estratégias para aumentar o GNRE
  • 6. O que você precisa saber sobre gasto energético na musculação?
  • 7. Papel do volume, exercícios, intensidade e pausa no gasto energético
  • 8. Papel da cadência e ações musculares sobre o gasto energético
  • 9. O papel dos sistemas sobre o gasto energético na musculação
  • 10. Como quantificar o gasto energético na musculação?
  • 11. O treinamento de força pode controlar o apetite?

Dúvidas Frequentes

O DNA da Força é um ambiente online de formação continuada sobre tudo o que envolve o treinamento de força (musculação) voltado a: Avaliação Física; Hipertrofia; Força; Emagrecimento.
Aprenderá de forma detalhada, aprofundada e por meio de conteúdos de grande aplicação prática a elaborar, prescrever, controlar e progredir com os programas de treinamento de força voltados à estética e saúde de clientes que desejam aumentar a massa muscular, a força ou emagrecer. Além disso, aprenderá a utilizar todas as ferramentas necessárias para o engajamento dos alunos aos programas de treinamento prescritos por você.
NÃO, DEFINITIVAMENTE NÃO! O DNA da Força é um ambiente de formação continuada, ou seja, um espaço organizado com videoaulas + planilha de treino + artigos científicos e muitos outros materiais utilizados para tornar você uma autoridade em sua atuação profissional do treinamento de força.
-As aulas possuem uma jornada de aprendizado organizada, pela qual permite o aprendizado de forma aprofundado; -Aprendizado muito mais rápido, pois enquanto para você se tornar um especialista em treinamento de força no formato tradicional você levaria alguns anos, no DNA da Força você pode levar alguns meses, de acordo, é claro, com sua dedicação; -Atualizações constantes dos conteúdos, pois a prioridade é formar profissionais especialistas e atualizados; -O conteúdo permite que você ofereça aos seus alunos o melhor e mais atualizado serviço de treinamento de força; -Suporte constante para tirar todas as suas dúvidas, mesmo as dúvidas sobre casos específicos do seu dia a dia da musculação; -A proposta do DNA da Força é que você nunca fique sozinho(a) em sua jornada de aprendizado; -Melhor custo-benefício, pois fazer parte do DNA da Força durante um ano corresponde ao que você provavelmente pagaria para ter acesso a um único curso e sem as vantagens que oferecemos.
-Vídeoaulas customizadas; -As videoaulas são construídas e pensadas na prática profissional, para solução imediata das dúvidas e problemas enfrentados pelos professores no dia a dia; -Atualizações semanais; -Toda semana serão disponibilizadas videoaulas ou artigos recentemente publicados sobre treinamento de força. Os artigos são disponibilizados na versão original (inglês) e os principais serão traduzidos (português), para que todos possam ler; -Grupo exclusivo de suporte; -Você fará parte de um grupo fechado e exclusivo para os membros do DNA da Força, onde poderá tirar todas as suas dúvidas comigo e com os demais membros, bem como sugerir novos conteúdos que podem se tornar videoaulas futuras; -Materiais de apoio; -Vocês receberão como bônus: planilhas de treino, planilha de avaliação física, artigos científicos traduzidos e muitos outros materiais para utilizar na prática profissional, sem nenhum custo adicional. No entanto, esses materiais serão liberados somente para os membros efetivos do DNA da Força,
Meu nome é Emerson Teixeira. Sou formado em Educação Física, com especialização em Fisiologia do Exercício e Mestrado na área do Treinamento de Força. Nos últimos anos, tenho me dedicado como pesquisador, buscando entender quais são as melhores estratégias de intervenção dentro do treinamento de força. Atualmente, tenho parceria com fortes pesquisadores internacionais dessa área, o que me garante acesso a importantes publicações internacionais e, o mais importante, muito conhecimento prático e atualizado sobre musculação. O DNA da Força é onde eu compartilho todo o meu conhecimento sobre treinamento de força, do básico ao avançado por meio de passo a passo, com o pensamento em melhorar a prática profissional e contribuir com a evolução da Educação Física. Nossa área merece profissionais de alto nível e quero fazer a minha parte na formação de profissionais altamente capacitados!
Ao se tornar membro do DNA da Força, você terá acesso ilimitado aos nossos materiais durante 12 meses (no pagamento do plano anual), 6 meses (no pagamento do plano semestral), ou mensalmente nos planos mensais recorrentes.
Não precisa ter um nível mínimo de conhecimento. O DNA da Força é voltada para estudantes, formados e especialistas, atendendo diferentes níveis de conhecimento por meio da estruturação dos conteúdos, do básico ao avançado. Portanto, o importante é querer aprender e se esforçar! Isso basta!
Você assiste as videoaulas no seu tempo e no ritmo que quiser. No entanto, é sugerido que você assista as aulas pela sequência que são adicionadas na plataforma para um melhor aproveitamento dos conteúdos
As formas de pagamento são Cartão de Crédito, PIX ou Boleto. A plataforma é reconhecidamente segura e confiável.
A assinatura possui uma garantia total de 7 dias. Caso não goste por qualquer motivo, basta enviar um email para dnadaforca@gmail.com dentro do prazo e o seu dinheiro será devolvido, independentemente dos motivos de sua desistência.
Voltar ao topo